• Quem pode ser Associado?
    Podem fazer parte do SICOOB Saromcredi todas as pessoas físicas e/ou jurídicas, domiciliadas nos municípios que compõem a área de atuação da Cooperativa (Cássia, Delfinópolis, Itaú de Minas, Medeiros, Pratinha, São João Batista do Glória, São Roque de Minas e Vargem Bonita), que concordem com o Estatuto Social da Instituição e preencham as condições nele estabelecidas.
  • Quais as vantagens de ser um Associado?
    No SICOOB Saromcredi, além de taxas justas, você tem atendimento especial e personalizado. Diferente das demais instituições financeiras, os recursos captados pela Cooperativa são pulverizados nas próprias localidades, democratizando o crédito e garantindo taxas de juros acessíveis, o que favorece a geração de renda e novos empregos. Dessa forma, o SICOOB Saromcredi contribui para o melhor equilíbrio econômico e ajuda na realização da justiça social nas comunidades onde atua.
  • Como ser um Associado?
    Basta se dirigir a uma Agência do SICOOB Saromcredi mais próxima de você e procurar um de nossos gerentes. Feito isso, resta-lhe dar as boas-vindas ao nosso quadro de cooperados!
  • Quais documentos são necessários para se associar?
    Ao se dirigir à Agência de sua preferência, você deverá estar munido dos seguintes documentos:

    - CPF;

    - Carteira de Identidade (RG);

    - Comprovante de Residência;

    - Se casado (a), o CPF do cônjuge e Certidão de Casamento;

    - Comprovante de Renda;

    - No caso de Pessoa Jurídica, apresentar Ata de Posse ou Cartão Social (CNPJ) da Empresa representada.
  • Qual o valor da integralização de capital?
    - Pessoa Física: R$ 10,00

    - Pessoa Jurídica: R$ 10,00
  • O que é o Capital Social?
    O Capital Social é um valor em dinheiro depositado, na Cooperativa, no ato da associação. É também com esse recurso que o SICOOB Saromcredi realiza operações de crédito junto aos seus associados. O resgate do Capital Social, bem como sua remuneração, está sujeito às regras e normas estabelecidas pela Assembleia Geral e registrada no Estatuto Social.
  • Quais os Direitos dos Associados?
    - Tomar parte nas Assembleias Gerais, discutir e votar os assuntos que nelas forem tratados, ressalvadas as disposições legais ou estatutárias;

    - Ser votado para os cargos sociais, desde que atendidas as disposições legais ou regulamentares pertinentes;

    - Propor, por escrito, medidas que julgar convenientes aos interesses sociais;

    - Beneficiar-se das operações e dos serviços prestados pela Cooperativa, observadas as regras estatutárias e os instrumentos de regulação;

    - Examinar e pedir informações, por escrito, sobre documentos, ressalvando os protegidos por sigilo;

    - Tomar conhecimento dos normativos internos da Cooperativa;

    - Demitir-se da Cooperativa quando lhe convier.

    Obs. 1: O associado que aceitar e estabelecer relação empregatícia com a Cooperativa, perde o direito de votar e ser votado, conforme previsto em Estatuto Social, até que sejam aprovadas as contas do exercício em que ele deixou o emprego.

    Obs. 2: O associado presente à Assembleia Geral terá direito a 01 (um) voto, qualquer que seja o número de suas quotas-partes.
  • Quais os Deveres dos Associados?
    - Satisfazer, pontualmente, os compromissos que contrair com a Cooperativa;

    - Cumprir as disposições do Estatuto Social, dos Regimentos Internos, das deliberações das Assembleias Gerais, do Conselho de Administração, da Diretoria Executiva, bem como as normas e instruções emanadas da Cooperativa Central a que estiver filiada e do SICOOB Confederação;

    - Zelar pelos interesses morais e materiais da Cooperativa;

    - Responder pela parte do rateio que lhe couber relativo às perdas apuradas no exercício;

    - Respeitar as boas práticas de movimentação financeira, tendo sempre em vista que a cooperação é obra de interesse comum ao qual não se deve sobrepor interesses individuais;

    - Movimentar seus depósitos à vista e a prazo, preferencialmente, as economias próprias na Cooperativa;

    - Manter as informações do cadastro na Cooperativa constantemente atualizadas;

    - Não desviar a aplicação de recursos específicos obtidos na Cooperativa, para finalidades não propostas nos financiamentos, permitindo, quando for o caso, ampla fiscalização da Cooperativa, das instituições financeiras participantes e do Banco Central do Brasil;

    - Comunicar ao Conselho de Administração, ao Conselho Fiscal e à Diretoria Executiva, por escrito e mediante protocolo, se dispuser de indícios consistentes, a ocorrência de quaisquer irregularidades, sendo vedados o anonimato e a divulgação interna ou externa, por qualquer meio, de fatos ainda não apurados, e, ainda, a divulgação - fora do meio social - de fatos já apurados ou em apuração.
  • Principais diferenças entre Cooperativas de Crédito e Bancos
    - As cooperativas de crédito são sociedades de pessoas e não de capital, em que o poder de decisão está na efetiva participação dos sócios e não na detenção de quotas de capital social na instituição;

    - As cooperativas de crédito têm como objetivo a captação e administração de recursos ou depósitos, empréstimos e prestação de serviços aos cooperados, independentemente da ideia de, como pessoa jurídica, obter vantagens para si, em detrimento do resultado do sócio, este investido da dupla qualidade: de associado e cliente das operações e dos serviços cooperativos;

    - Suas operações estão restritas ao quadro associativo que é constituído de pessoas físicas e jurídicas;

    - Os resultados (sobras) são distribuídos entre os sócios, proporcionalmente ao volume de operações que realizaram durante o exercício;

    - Nas Cooperativas o controle é democrático (1 pessoa = 1 voto) enquanto que nos Bancos o controle é exercido a partir da participação do capital;

    - As relações obrigacionais entre sócio e cooperativas não se confundem com a de fornecedor e consumidor, pois estas são caracterizadas como atos cooperativos, com tratamento próprio na legislação cooperativista;

    - É vedada a transferência de quotas-partes (capital social) a terceiros estranhos ao quadro social da Cooperativa, enquanto que nos Bancos a transferência do capital (ações) pode ser feita livremente (bolsas de valores);

    - Sobre o resultado não incide tributação (Imposto de Renda e Contribuição Social (CSSL)), em face da tributação se dar na pessoa física do associado.

    Além de todas essas vantagens, no SICOOB Saromcredi você conta com uma equipe preparada para orientá-lo nos mais diversos assuntos, como abertura ou estruturação do seu negócio, temas relacionados à mudanças na legislação ambiental e produção de queijo artesanal, dentre outros.
  • O que é Cooperativismo?
    Cooperativismo é um movimento, filosofia de vida e modelo socioeconômico capaz de unir desenvolvimento econômico e bem-estar social. Seus referenciais fundamentais são: participação democrática, solidariedade, independência e autonomia.

    É o sistema fundamentado na reunião de pessoas e não no capital. Visa atender às necessidades do grupo e não do lucro. Busca prosperidade conjunta e não individual. Essas diferenças fazem do cooperativismo a alternativa socioeconômica que leva ao sucesso com equilíbrio e justiça entre os participantes.

    Associado a valores universais, o cooperativismo se desenvolve independentemente de território, língua, credo ou nacionalidade.
  • Quais os tipos de sociedades cooperativas?
    Conforme a dimensão e objetivos, uma sociedade cooperativa se enquadra em classificação específica. Ao todo são três tipos:

    - singular ou de 1º grau: tem objetivo de prestar serviços diretos ao associado. É constituída por um mínimo de 20 pessoas físicas. Não é permitida a admissão de pessoas jurídicas com as mesmas ou correlatas atividades econômicas das pessoas físicas que a integram;

    - central e federação ou de 2º grau: seu objetivo é organizar em comum e em maior escala os serviços das filiadas, facilitando a utilização recíproca dos serviços. É constituída por, no mínimo, três cooperativas singulares. Excepcionalmente, pode admitir pessoas físicas;

    - confederação ou de 3º grau: organiza em comum e em maior escala os serviços das filiadas. Três cooperativas centrais e ou federações de qualquer ramo são a quantidade mínima para constituir uma federação.
  • Quais são as Entidades Cooperativas
    São elas:

    ACI - Aliança Cooperativa Internacional: Representa o cooperativismo em nível mundial.

    WOCCU - Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito: Representa o cooperativismo de crédito em nível mundial.

    OCB - Organização das Cooperativas do Brasil: Representa o cooperativismo no Brasil.

    OCEMG/SESCOOP-MG - Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais: Representa o cooperativismo no estado de Minas Gerais.

    FRENCOOP - Frente Parlamentar do Cooperativismo: Grupo político, não ideológico, independente de sigla partidária, reunido para defender os interesses do Cooperativismo em todos os seus 13 ramos. Quando se debate o agronegócio, o crédito, a saúde, a habitação, a educação, as questões tributária e trabalhista, geração de emprego e renda, a exploração mineral, o transporte alternativo, a inclusão social dos portadores de necessidades especiais, o turismo, a cooperação, ali está a Frencoop.
© 2018 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.